Entrevista com Ronaldo Arakaki,gerente geral da Konica Minolta Business Solutions do Brasil Recentemente, o IDC publicou o ranking atualizado onde a Konica Minolta aparece em destaque.

Entrevistamos Ronaldo Arakaki, gerente geral da Konica Minolta Business Solutions do Brasil sobre seu avanço no mercado de Prodution Printing, segundo ranking recentemente publicado pelo IDG, um dos institutos mais respeitados do setor.

PUBLISH: A que a KONICA MINOLTA atribui o crescimento de participação da empresa no mercado de prodution print no Brasil?

Ronaldo Arakaki: Penso que a principal contribuição da Konica Minolta para o crescimento do segmento de production print no Brasil seja justamente a forma com que trabalhamos: ouvindo nossos clientes, pesquisando e entendendo tendências de mercado, e, claro, oferecendo tecnologias que vão ao encontro das demandas modernas do mercado gráfico. Portanto, creio que nossa contribuição baseia-se na união de três fatores: tecnologia, proximidade com nossos clientes e estratégia comercial consultiva. Quanto mais empresas tiverem casos de sucesso com impressão digital, mais o mercado irá expandir. E, como fabricante, temos em mente a certeza de que precisamos atuar proativamente para ajudar nossos clientes a extraírem o melhor de seus equipamentos e crescerem.

PUBLISH: A participação da KONICA MINOLTA no segmento de equipamentos coloridos é ainda maior, atingindo quase a metade do mercado (46%). Quais são os diferenciais da empresa e qual o carro-chefe nesse mercado?

Ronaldo Arakaki: Qualidade de impressão é, sem dúvidas, o primeiro desses fatores. A Konica Minolta pesquisa e investe na evolução da qualidade de seus equipamentos constantemente, e, atualmente, disponibiliza no mercado uma linha completa de soluções que contam com a tecnologia avançada de toner Simiti HDe, que, entre outras características, permite fusão com a mídia em temperaturas menores, e conta com partículas polimerizadas que permitem obter imagens impressas com melhor definição, cores mais vivas e suaves. Além disso, temos obtido excelente feedback de nossos clientes no que se refere ao custo acessível de insumos e baixa necessidade de assistência técnica.

Entre os equipamentos e modelos, posso citar a bizhub PRESS C1100, modelo que encabeça nossa linha de soluções para alta produtividade (até 100 páginas/minuto) para impressos coloridos. Também estamos apostando muito nos nossos recentes lançamentos: os modelos AccurioPRINT C2060L e AccurioPRESS C2070P, que, em pouco tempo, já estão apresentando excelente repercussão no mercado nacional.

Há, também, a seriedade com que a empresa enxerga, mundialmente, a questão do suporte técnico e pós-venda. Os clientes precisam de confiança ao investir, saber que o fornecedor não é somente um fabricante, mas, também, é parceiro, está preparado para correr lado a lado com eles e ajudá-los a se tornarem mais lucrativos.

PUBLISH: Como a KONICA MINOLTA enxerga o momento político-econômico do pais e como ele tem afetado o desempenho do mercado?

Ronaldo Arakaki: Não podemos negar que existe muita incerteza no mercado, o que acaba represando investimentos. Somado a isso, também é certo que o mercado gráfico passa por transição, com mudança de perfil dos clientes e das demandas. Contudo, internamente, preferimos enxergar essas mudanças como portas abertas para novas oportunidades. Ou seja, à medida que as tiragens caem, também crescem as oportunidades para aplicações de impressão sob demanda e personalização, por exemplo. Além disso, uma coisa é certa: a crise passará, e as gráficas que tiverem investido e estudado estrategicamente novos modelos de negócios sairão na frente.

PUBLISH: Como o mercado de production print se comporta perante os demais mercados atendidos pela KONICA MINOLTA?

Ronaldo Arakaki: É um mercado ascendente. Observamos que mais e mais gráficas que usam processos convencionais estão investindo em impressoras digitais para obterem as vantagens de ambos os sistemas. E, nesse caso, o que essas gráficas procuram são soluções que ofereçam robustez, performance e qualidade compatíveis com o que estão acostumadas a ter em offset. Há, também, as gráficas que já nasceram digitais, e que procuram tecnologias de patamares superiores para alavancar seus negócios atendendo volumes maiores de impressos digitais, principalmente, coloridos.

PUBLISH: Quais os planos da KONICA MINOLTA para o Brasil? Algum segmento específico? Alguma região em especial?

Ronaldo Arakaki: Enxergamos todo o mercado brasileiro como sendo de enorme potencial. O empresário brasileiro tem criatividade, investe, e está aprendendo gradualmente a extrair o que a impressão digital tem a oferecer. Não há projetos para regiões em especial, mas, sim, queremos estar cada vez mais próximos de nossos clientes em cada região – o que é fundamental num país de dimensões continentais como o Brasil. Inauguramos recentemente nossa nova estrutura para a filial de Porto Alegre, temos uma filial de atuação sólida em Manaus, e mais novidades virão por aí. Também trabalhamos muito próximos de nossas revendas e parceiros, que vêm desenvolvendo um excelente trabalho.

PUBLISH: Poderia fazer uma análise de tendências tecnológicas na qual a KONICA MINOLTA aposta para os próximos anos? Quais recursos serão mais solicitados? E quais capacidades e facilidades a KONICA MINOLTA aposta para os próximos modelos em desenvolvimento?

Ronaldo Arakaki: Acredito que a impressão digital terá, como duas grandes vertentes tecnológicas, a tecnologia de toner e inkjet. A Konica Minolta está preparada para atuar, com competitividade, em ambos os segmentos. Também não podemos esquecer as aplicações de impressão digital para embalagens e segmento label, que é igualmente estratégico em todo o mundo.

PUBLISH: Em relação às demais regiões em que a KONICA MINOLTA atua, como o Brasil se posiciona, em termos de importância?

Ronaldo Arakaki: Mundialmente, a Konica Minolta acredita no potencial do Brasil. Em 2015, nossa filial foi premiada como a melhor subsidiária da Konica Minolta no mundo. Em 2016, compartilhamos os excelentes números do IDC, que nos colocam na liderança do segmento de production print colorido no Brasil.

Investimos em nossa estrutura no país, que, além de contar com filiais regionais, é o único na América Latina a possuir um Digital Imaging Square (DIS), sediado em São Paulo e onde estão expostas nossas principais soluções para que clientes confiram, na prática, o que nossa tecnologia pode oferecer.

Esses casos ilustram a importância global que o Brasil tem para a companhia, importância esta que, acredito, crescerá ano a ano.

Compartilhar com: