A auto-publicação está se tornando uma realidade Cinquenta Tons de Cinza começou um humilde ebook auto-publicado, incapaz de atingir os padrões de editoras tradicionais

A trilogia começou como uma auto-publicaçãoO que começou como uma simples aventura de auto-publicação em poucos anos tinha conseguido atingir projeção, gerando uma série de livros que já vendeu mais de 125 milhões de cópias, sem contar um longa metragem.
A própria história pessoal de E. L. James tornou-se uma fantasia motivadora para muitos aspirantes a autores. A tecnologia e as mídias sociais estão cada vez mais viabilizando isso.
“Houve um momento em que a auto-publicação era confundida com vaidade”, explica John Bond, co-fundador da White Fox, uma das várias novas empresas que ajudam autores “amadores” a publicar profissionalmente em plataformas como o Kindle, da Amazon, Google Play, iBook Store da Apple ou Kobo.
“Por causa da revolução digital, a democratização aconteceu. É quase como se o escritor tornou-se seu próprio empreendedor em todo o processo de publicação.”

Perdido em Marte: antes do filme, foi um livro feito em auto-publicaçãoPerdido em Marte?

Em sua ânsia por serem notados, auto-editores estão se mostrando dispostos a assumirem riscos. Perdido em Marte de Andy Weir, eventualmente se tornou um blockbuster de Hollywood. Mas a história foi originalmente publicada capítulo por capítulo no blog do autor de forma gratuita.
Este acabou por ter uma grande exposição e tornou-se um enorme sucesso como um audiobook, e-book e livro físico.
“Havia uma atitude reticente nas editoras comerciais com os  auto-editores alguns anos atrás”, diz Bond, “mas acho que isso mudou dramaticamente.”
Ele atribui isso ao ‘novo encontrado admiração dos editores tradicionais pela habilidade dos auto editores nas mídia social, que os ajudaram a encontrar novos leitores sem a necessidade de caras campanhas de marketing.

Muitos outros exemplos estão surgindo de blogueiros, articulistas e comentaristas que começaram suas atividades online e, aos poucos e com a ajuda de um vasto séquito de admiradores conseguem emplacar versões comerciais de suas publicações online.

Fonte: 

Compartilhar com: