Abimaq leva pleitos a Brasília (DF) Representantes da entidade tiveram agenda bastante movimentada em novembro

Abimaq_logo2Durante o último mês de novembro, a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) manteve uma agenda intensa de reuniões com o governo. O principal objetivo foi chamar a atenção para os entraves existentes no setor de bens de capital e sugerir ações para a retomada do crescimento do setor.

Assim sendo, o presidente do Conselho de Administração da Abimaq, Carlos Pastoriza; o presidente executivo da Abimaq, José Velloso, e deputados que integram a Frente Parlamentar da Indústria de Máquinas e Equipamentos (FPMAQ) se reuniram com o ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, no Palácio do Planalto, em Brasília (DF), para discutir alternativas que possibilitem a retomada de investimentos na indústria de transformação.

Preocupada com o ajuste fiscal e a repercussão que isso pode trazer para os seus associados, a diretoria da Abimaq se reuniu também com o ministro da Fazenda, Joaquim Levy. “Estamos preocupados porque esse tipo de ajuste fiscal, da maneira como está sendo feito, está penalizando a sociedade e provocando uma recessão maior do que a necessária”, afirma José Velloso. Na ocasião, o ministro afirmou que o governo está analisando o pedido de algumas empresas para rever o cronograma de pagamento de empréstimos tomados junto ao BNDES dentro do Programa de Sustentação do Investimento (PSI). Velloso pediu que as empresas ficassem durante 12 meses pagando juros, mas não amortizando o principal da dívida, uma vez que houve ampla contratação de empréstimos com juros subsidiados, mas a forte queda na produção comprometeu o pagamento das dívidas.

A diretoria da entidade seu reuniu ainda com o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Armando Monteiro, para também solicitar um prazo maior para refinanciamento de passivos com o BNDES, para tentar auxiliar as empresas do setor de máquinas e equipamentos que estão em dificuldades de honrar os contratos feitos com o BNDES e minimizar os impactos causados pela forte retração no mercado doméstico.

Abimaq
www.abimaq.org.br

Compartilhar com: